Forbrukslån Student | 144hz Näyttö | Kredittkort med lavest Rente | Strøm | Alarm | Billigste Forsikringsselskap | Mobilselskaper i Norge | Beste Varmepumpe

Entrevista com Sidney Fernandes – Lançamento “Sob a luz que liberta”

Entrevista com Sidney Fernandes – Lançamento “Sob a luz que liberta”

Sob a Luz que Liberta é mais um romance de Sidney Fernandes, o nono livro de sua autoria, agora trazendo uma temática atual e diferenciada: irmãos xifópagos, também chamados de siameses ou monozigóticos, em uma narrativa reencarnacionista baseada no fato real, mas que traz na ficção dois irmãos que se tornam inimigos e se recusam a se reconciliar. Em entrevista ao Jornal Momento Espírita, o autor conta um pouco sobre a obra:

 

 

[JME] Em fevereiro de 2018, um time composto por 30 profissionais realizou, no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP, a primeira de quatro cirurgias para separação de duas gêmeas que nasceram unidas pelo crânio. Em seu livro você fala desse assunto?

Sim, um caso muito semelhante, que conta, inclusive, com uma equipe espiritual para nortear os procedimentos médicos terrenos. Na verdade, foi uma surpresa para mim, pois esse assunto não é muito comum, no Brasil, e surgiu bem à época do lançamento do novo livro.

 

[JME] Os médicos ouvem sugestões e intuições dos médicos espirituais?

Sem dúvida. E no meu livro descrevo uma situação em que trabalham, lado a lado, equipes médicas do espaço e da Terra. André Luiz nos relembra que os

 

médicos devem se aproximar da fé religiosa, seja qual for a sua denominação. Assim vão contar com seus amigos espirituais e acertar mais e errar menos, em seus diagnósticos e cirurgias. E desabafa:  — Ah! Se os médicos orassem!

 

[JME] Nesta história, você também trata de irmãos gêmeos. Qual o enfoque?

Há gêmeos que encarnam por simpatia. Acontece, no entanto, de a espiritualidade nos colocar ao lado de espíritos adversos, que vão lutar juntos no palco da vida. Neste caso, narro a história de dois irmãos que se desentenderam em determinado momento de uma de suas vidas e passaram a se agredir por tempo indeterminado. Durante séculos alternaram-se como obsessor e vítima, desafiando as regras de Deus. Mesmo conhecendo as forças do Criador, mediram forças com ele, e continuaram, pelos anos afora, a tripudiar nos tormentos dos semelhantes.

 

[JME] Existe um departamento de reencarnação que projeta o futuro corpo de nossa encarnação?

Os dois personagens de meu livro estavam impregnados de vários pontos obscuros, em uma espécie de molde, que representava o organismo humano. Iriam receber corpos adequados às suas necessidades de despertamento. Isso ocorre com todos nós.

 

 [JME] Na história, você se refere a ataques espirituais concentrados e planejados por vítimas de um dos personagens. Isso realmente acontece?

Sim, o tempo todo. Quando temos a consciência pesada por males cometidos, perdemos nossas defesas e nos sujeitamos às transmissões de substâncias negras, qu

 

e podem atingir o nosso sistema nervoso, oriundas do obsessor. Chamo a atenção, todavia, para algumas dificuldades encontradas por eles, quando suas vítimas estão sob a proteção de forças iluminadas.

 

[JME] Você fala de dois casos de décima vez. Do que se trata?

Inspirado em André Luiz, em Missionários da Luz, que descreve a situação de um cavalheiro idoso, com enorme desequilíbrio no fígado e no baço, que não poderia receber dos espíritos um socorro completo, pois havia sido atendido por dez vezes, sem qualquer esforço renovador de sua parte. Seria entregue a si mesmo, até que adotasse nova resolução. No meu livro, os personagens passam por situação semelhante. Em relação a eles seria adotada nova forma de sensibilização. Testaram as leis divinas durante dezenas de vidas e encontraram o limite máximo de tolerância da espiritualidade.

[JME] Você destacaria algo que julga importante em seu livro?

Destaco os detalhados preparativos para as novas encarnações: meus personagens participam de atividades coletivas como palestras de mentores categorizados, depoimentos de recém-egressos da experiência terrestre, testemunhos de espíritos que haviam obtido algum sucesso em suas encarnações e dos que não haviam alcançado qualquer êxito e tinham consciência de suas falhas. Além disso, vivenciam também flashes de vidas anteriores, conversas com sofredores desencarnados, análise das próprias falhas de caráter por ele selecionadas.

 

 

[JME] O livro traz participações especiais, certo?

Sim. Carlos Eduardo Luz e Mauro Sebastião Pompílio, ambos diretores do CEAC, colaboraram com seus textos. Quem, todavia, colaborou muito, com textos, revisões e orientações foi Richard Simonetti. Faço, no livro, agradecimento especial a ele que, mesmo com problemas de saúde, muito contribuiu para o texto final do livro.

 “Sob a luz que liberta – Uma história de reconciliação”, da Editora CEAC, é também a obra do Clube do Livro do Centro Espírita Amor e Caridade deste mês e conta com lançamento também nas livrarias Jalovi, Empório Cultural e Livraria Ceac, em Bauru/SP. Leitores de outras cidades poderão adquirir pelo site www.editoraceac.com.br. Os direitos autorais foram cedidos gratuitamente para a manutenção das suas obras sociais do Centro Espírita Amor e Caridade, de Bauru/SP.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *